giovedì 19 aprile 2018

Stasera: il cinema di José Paulo Santos all'IPSAR



Stasera alle ore 18, nel salone nobile dell’Istituto Portoghese di Santo Antonio in Roma, la mostra di cinema d’autore di JOSÉ PAULO SANTOS (UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro).

Verranno presentati per la prima volta in Italia tre cortometraggi, premiati in diversi festival internazionali di cinema e sottotitolati in italiano dagli Studenti di Lingua e Traduzione Portoghese dell’Università degli Studi della Tuscia (DISTU).

«...além da sala de espera» (documentario, 2013)
«Circunstâncias» (drammatico, 2017)
«Observador» (drammatico, 2017)

Specializzato in Scienze della Comunicazione presso l’UTAD, JOSÉ PAULO SANTOS ha collaborato come giornalista presso il canale televisivo TVI tra il 2001 e il 2014. Attualmente è docente all’UTAD (Scienze della Comunicazione, Teatro e Arti Performative) e fa parte della giuria del International Open Film Festival (Bangladesh).


Carlo Giacobbe insieme alla Comunità Ebraica di Roma per il 70º anniversario dello Stato d'Israele




Ieri sera, nel quartiere ebraico, i settant’anni dalla fondazione dello Stato d'Israele è stata segnalato con diversi eventi culturali. Il Presidente della Comunità Ebraica di Roma, Ruth Dureghello, ha introdotto la presentazione del libro di Carlo Giacobbe, “Il sionista gentile", precedentemente annunciato in questo blog: http://viadeiportoghesi.blogspot.it/2018/04/presentazione-dellultimo-libro-di-carlo.html

L'incontro, moderato da Stefano Polli, Vice Direttore ANSA, ha avuto gli interventi di Antonio Di Bella, Direttore RaiNews24, Elena Loewenthal, scrittrice e giornalista, David Meghnagi, Direttore del Master di Didattica della Shoah. 



L'autore, Carlo Giacobbe, era presente anche come cantore dei brani musicali, che hanno intramezzato l'incontro, insieme a Annie Corrado (pianoforte), Felice Zaccheo (chitarra e altri cordofoni), Franco Pietropaoli (chitarra), Evelina Meghnagi (voce), Maela Nicoletti (voce).




"Il sionista gentile", un lavoro complesso, è il prodotto di una scommessa dell'autore con se stesso: riuscire a dare, in un unico libro, un'idea articolata di che cosa rappresenta (o dovrebbe rappresentare) questo Paese, minuscolo, se rapportato al contesto geografico in cui si trova, ma di enorme e cruciale importanza sul piano geopolitico.

Parlare di Israele vuol dire toccare, non sempre di sfuggita, temi come l'ebraismo, l'antisemitismo, la questione palestinese, Gerusalemme, la Shoah e, inevitabilmente, il negazionismo.

La seconda parte del libro vuole spiegare Israele e il sionismo attraverso un CD, abbinato al volume. Una compilation di 18 canzoni, in lingua Yiddish, in ebraico e in italiano, tutte arrangiate ex novo e reinterpretate dall'autore insieme a un gruppo di musicisti.


mercoledì 18 aprile 2018

José Tolentino Mendonça: "Deus é um problema também para os crentes"



Entrevista de António Marujo a José Tolentino Mendonça publicada no jornal Público: https://www.publico.pt/2018/04/15/sociedade/entrevista/deus-e-um-problema-tambem-para-os-crentes-1810259

O Elogio da Sede foi o tema que o padre José Tolentino Mendonça propôs ao Papa Francisco, quando este o convidou a orientar os exercícios espirituais da Quaresma para os responsáveis da Cúria Romana – a primeira vez de um padre português. Com o mesmo título, foi anteontem posto à venda o livro (ed. Quetzal) que reúne os textos das meditações que o também poeta e exegeta bíblico propôs ao Papa e aos seus mais directos colaboradores.
No tempo litúrgico que antecede e prepara a Páscoa, os cristãos são chamados a repensar a sua vida à luz da fé que professam. Esse desafio pode assumir a forma de um encontro de reflexão ou meditação, muitas vezes chamado de “exercícios espirituais”, adoptando a expressão cunhada por Inácio de Loiola, fundador dos jesuítas. “Um exercício espiritual é, sobretudo, um momento de encontro, uma viagem ao interior de si, uma abertura ao que pode ser a voz de Deus, um balanço da própria vida”, explicaria Tolentino Mendonça, nesta entrevista.

Foi isso que, durante cinco dias, entre 18 e 23 de Fevereiro, aconteceu em Ariccia, perto de Roma: duas meditações diárias, e o resto do tempo em silêncio, para cada pessoa se confrontar com a reflexão proposta. “O silêncio com que vivemos este retiro podia interpretar-se como uma sede”, acrescentava o padre português.

No livro A Nuvem do Não-Saber, de final do século XIV – que muitos historiadores da matéria consideram “um dos mais belos textos místicos de todos os tempos”, como recordava José Mattoso na edição portuguesa (ed. Assírio & Alvim) –, o autor anónimo escreve: “[À] pergunta: ‘Que buscas? Que desejas?’, responde que era a Deus que desejavas ter: ‘É só a Ele que eu cobiço, é só a Ele que busco e nada mais senão Ele’. E se te perguntar quem é esse Deus, responde que é o Deus que te criou e redimiu, e por sua graça te chamou ao seu amor. Insiste que acerca d’Ele tu nada sabes.”

Foi sobre essa busca e sobre tactear na procura de Deus que, nas suas dez meditações, Tolentino Mendonça se debruçou, mesclando a investigação dos textos bíblicos com as inspirações literárias e artísticas que marcam também a sua obra poética e ensaística. E é essa intersecção permanente que transparece no seu livro. Que tem um único risco: o de se tornar, também ele, uma das grandes obras da mística. A par de obras como A Imitação de Cristo ou o já citado A Nuvem do Não-Saber. Ou a par de nomes como Hildegarda de Bingen, Juliana de Norwich, São João da Cruz, Teresa d’Ávila, Etty Hillesum, Dietrich Bonhoeffer, o irmão Roger de Taizé...

A entrevista continua em:  https://www.publico.pt/2018/04/15/sociedade/entrevista/deus-e-um-problema-tambem-para-os-crentes-1810259

Alasia Borghese (1926-2017) - antologica in memoria della scultrice romana - 10 maggio



La Principessa Alasia Borgese ha lavorato, sotto commissione dell'Ambasciatore Eduardo Brazão, al monumento funebre di Cardinal Costa Nunes nella Chiesa di Sant'Antonio dei Portoghesi.


José Paulo Santos no DISTU da Universidade de Viterbo

No claustro do antigo convento de San Carlo, onde tem sede o Departamento DISTU da Università della Tuscia.

Algumas imagens do dia de ontem, em que o realizador português JOSÉ PAULO SANTOS encontrou alguns alunos de Português da Università degli Studi della Tuscia, promovendo um interessante debate depois da apresentação das suas três curtas-metragens traduzidas para o italiano pelos alunos de Lingua e Traduzione Portoghese. O encontro, presidido pela responsável pela Cátedra Pedro Hispano / Camões IC com sede nesta Universidade, Prof.ª Doutora Cristina Rosa, enquadra-se no plano de atividades da mesma durante o presente ano académico.

José Paulo Santos e Cristina Rosa.

 Durante a apresentação, frente a um público atento

 Com as alunas de Mestrado de  Lingua e Tradução Portuguesas, 
que trabalharam na tradução dos guiões das curtas-metragens do realizador:  
Erica Bonucci, Isabella Krasniqi, Chiara Lazzaretti, Isabella Labellarte, 
Bianca Maria Scipione e Martina Avelli

venerdì 13 aprile 2018

Viterbo: José Paulo Santos encontra os alunos do DISTU



http://www.instituto-camoes.pt/activity/o-que-fazemos/cultura-portuguesa/agenda/6460

O realizador José Paulo Santos, mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade de Trás os Montes e Alto Douro, onde atualmente ensina nas licenciaturas em Ciências da Comunicação e Teatro e Artes Performativas, vem a Itália para apresentar três curtas-metragens, premiadas internacionalmente em vários festivais de cinema.

Depois de terem corrido mundo - «...além da sala de espera» (documentário, 2013)  participou em 12 festivais entre 2015, tendo recebido uma menção honrosa no Art Tur (Porto), um certificado de excelência em Nova Delhi (Índia) e um voto de louvor por parte da autarquia de Vila Real e as obras ficcionais «Circunstâncias» e «Observador», ambas de 2017, seguem o mesmo cursus honorum - as três curtas chegam enfim a Itália, onde serão apresentadas em Viterbo, na sede do DISTU da Università degli Studi della Tuscia e em Roma, no Instituto Português de Santo António, a 17 e 19 de abril de 2018 respetivamente.

A tradução das legendas das três obras para o Italiano esteve a cargo dos alunos de Língua e Tradução portuguesas da Universidade de Viterbo, fazendo parte do seu programa curricular, e o encontro, que terá lugar no Complexo Monumental de San Carlo, foi organizado pela Cátedra Pedro Hispano / Camões, I.P.

Na cidade do único Papa português, a projeção dos filmes será seguida de um debate com os alunos sobre os problemas da tradução e legendagem fílmicas e de uma reflexão sobre as artes performativas no Portugal de hoje. José Paulo Santos irá falar da sua experiência de 13 anos como colaborador de uma importante estação televisiva portuguesa e do mundo dos festivais de cinema - fazendo ele mesmo parte do júri no Festival Internacional de Cinema do Bangladesh - International Open Film Festival (IOFF).